Setembro Dourado reforça importância do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil 

Com o objetivo de conscientizar sobre o câncer infantojuvenil, o “Setembro Dourado” busca alertar pais, profissionais de saúde e a sociedade em geral sobre a importância de se atentar aos sinais e sintomas sugestivos do câncer em crianças e adolescentes. Quando diagnosticado precocemente, o câncer infantojuvenil apresenta 80% de probabilidade de cura, segundo estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA).O câncer corresponde a um grupo de doenças que têm em comum um aumento descontrolado de células anormais, podendo ocorrer em qualquer local do organismo. No Brasil, assim como nos países desenvolvidos, o câncer se apresenta como uma das principais causas de morte por doença entre crianças e adolescentes de 0 a 19 anos (8% do total). O INCA estima novos casos de câncer infantojuvenil no Brasil para cada ano do triênio, de 2023 a 2025, é de 7.930, sendo 4.230 meninos, e 3.700 meninas.

Tumores mais frequentes na infância e na adolescência

Os tumores mais frequentes em crianças e adolescentes são: as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os tumores que atingem o sistema nervoso central, os linfomas (sistema linfático), o neuroblastoma (tumor de células do sistema nervoso periférico, frequentemente de localização abdominal), o tumor de Wilms (tipo de tumor renal), retinoblastoma (afeta a retina, fundo do olho), o tumor germinativo (das células que originam os ovários e os testículos), os osteossarcoma (tumor ósseo) e os sarcomas (tumores de partes moles).

Sinais e sintomas do câncer infantojuvenil

– Palidez, hematomas ou sangramento, dor óssea;

– Caroços ou inchaços – especialmente se indolores e sem febre ou outros sinais de infecção;

– Perda de peso inexplicada ou febre, tosse persistente ou falta de ar, sudorese noturna,

– Alterações oculares – pupila branca, estrabismo de início recente, perda visual, hematomas ou inchaço ao redor dos olhos;

– Inchaço abdominal;

– Dores de cabeça, especialmente se incomum, persistente ou grave, vômitos (em especial pela manhã ou com piora ao longo dos dias);

– Dor em membro ou dor óssea, inchaço sem trauma ou sinais de infecção;

– Fadiga, letargia, ou mudanças no comportamento, como isolamento;

– Tontura, perda de equilíbrio ou coordenação.

Assine Nossa Newsletter

GAC Pernambuco

Rua Arnóbio Marques, 310 – Santo Amaro (Recife – PE) | 50100-130 (7º andar do prédio do CEONHPE, dentro do Hospital Universitário Oswaldo Cruz).