Quem nos ajuda a tornar tudo isso possível

GAC capacita profissionais de saúde para diagnóstico precoce do câncer infantil no sertão do Moxotó


GAC capacita profissionais de saúde para diagnóstico precoce do câncer infantil no sertão do Moxotó

13/09/2011

O Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC) inicia amanhã (13) o terceiro ano do projeto Diagnóstico Precoce. Com a ação, especialistas capacitam profissionais do Programa de Saúde da Família (PSF) para o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil. O projeto é realizado em parceria com o Instituto Ronald McDonald.

O Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC-PE) faz amanhã (13) a abertura do terceiro ano do projeto Diagnóstico Precoce. A iniciativa leva capacitação sobre os sinais e sintomas do câncer infantojuvenil para profissionais do Programa de Saúde da Família (PSF). As aulas serão realizadas, até o final da semana, em Ibimirim (no sertão do Moxotó, a 339 KM do Recife) e participam também integrantes do PSF do município de Manari (que fica a 400 KM do Recife, uma das localidades com menor índice de desenvolvimento humano (IDH) do Brasil.

Nessa primeira etapa devem ser capacitados 220 profissionais entre médicos, enfermeiros e agentes comunitários de saúde (ACS). São 26 horas de aulas que abordam as formas de identificar os sintomas do câncer precocemente. Ministra as capacitações um grupo interdisciplinar de profissionais de saúde do Hospital Universitário Oswald Cruz (HUOC) onde funciona o GAC. A equipe é formada por médicos, enfermeiros, nutricionistas, dentistas e psicólogos. Etiene Britto, coordenadora do GAC, explica a importância da detecção precoce da doença. “Quanto mais rápido o diagnóstico, maiores são as chances de cura”, diz.

Este é o terceiro ano da iniciativa em Pernambuco, que já capacitou quase 700 profissionais no Recife, Limoeiro e Vitória de Santo Antão. Além de Ibimirim e Manari, o treinamento também será realizado em Garanhuns ainda esse ano.

Notícias Anteriores