Quem nos ajuda a tornar tudo isso possível

GAC-PE alerta para o diagnóstico precoce do retinoblastoma


GAC-PE alerta para o diagnóstico precoce do retinoblastoma

18/09/2012

Instituído por lei, o dia 18 de setembro de 2012 celebra pela primeira vez o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma. O Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer – Pernambuco (GAC-PE) alerta para o diagnóstico precoce da doença que ainda apresenta um diagnóstico tardio – 50% dos casos ainda são detectados muito tarde.

Em vigor desde o dia 14 de maio de 2012, a Lei N.° 12.637, decreta o dia 18 de setembro como o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma. A importância de se celebrar a data tem objetivos muito claros: educar a população em geral e os profissionais de saúde, ampliar o diagnóstico precoce e salvar a visão e a vida de crianças com este tipo de tumor.

Os dados ainda são assustadores, 50% dos casos da doença ainda são diagnosticados tardiamente, reduzindo as chances de cura ou trazendo seqüelas irreparáveis. O fator tempo é determinante para o alcance dos altos índices de cura no câncer infantojuvenil. No caso dos portadores do retinoblastoma mais ainda, já que detectá-lo precocemente não só permite que o câncer seja curado, como também que olho da criança seja preservado - uma das grandes seqüelas do diagnóstico tardio é a perda dos olhos devido o nível avançado da doença.

No Centro de OncoHematologia Pediátrica do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), onde o Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer – Pernambuco (GAC-PE) desenvolve o seu trabalho, em média dez novos casos são identificados por ano. Sendo assim, a instituição aproveita a data para fazer o seu papel de conscientizar as pessoas para a importância de ficarem atentas aos sinais e sintomas que podem suspeitar a doença.

“É preciso ficar atento ao famoso ‘olho de gato’ (leucocoria), que é aquela manchinha branca que aparece na íris. Além disso, dificuldade para enxergar, e desvio dos olhos (estrabismo) são fatores que servem de alerta para suspeição da doença”, pontua Adriana Morais, médica oncologista pediátrica do Hospital Universitário Oswaldo Cruz.

As chances de cura para os portadores do retinoblastoma chegam a 90% quando identificados o mais rápido possível.

Retinoblastoma – É o tumor ocular mais comum na infância. Bastante agressivo, pode afetar o nervo óptico, alcançar o sistema nervoso central e levar o paciente à morte. Entretanto, apresenta altos índices de cura, da ordem de 90%, se diagnosticado precocemente. Hoje, 50% dos casos da doença ainda são diagnosticados tardiamente, reduzindo as chances de cura. A importância de detectá-la o quanto antes está no fato de que esse diagnóstico permite não só que o câncer seja curado, mas também que o olho da criança seja preservado.

Notícias Anteriores